Telefone (62) 3261-3552 WhatsApp (62) 99603-3552
 
 
Reflexão diária do Evangelho - João 14,21-26 - 11 de maio

Evangelho – João 14,21-26
“Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada”.

Avançando no Tempo Pascal já começamos a vislumbrar os textos que evidenciam a chegada do Espírito Santo, o Defensor, aquele que nos ensinará a viver a Palavra e nos recordará das responsabilidades humanas.
Três elementos se destacam no texto do evangelho de hoje: 1) acolher os mandamentos; 2) Guardar a Palavra e 3) Tornar-se lugar de habitação de Deus. 
Acolher os mandamentos é a primeira responsabilidade. Na última ceia, Jesus instituiu o “mandamento novo”, que consiste num olhar vertical e horizontal: amar a Deus e aos irmãos e irmãs. Não podemos apenas olhar para o céu e ignorar ou tornar-se insensível àquilo que está ao nosso lado, bem próximo.
Guardar a Palavra é a segunda responsabilidade. Jesus é a Palavra encarnada, é sinal sacramental da face do Pai. Nele aprendemos a enxergar Deus nas atitudes de amor. Guardar a Palavra, não significa apenas colocá-la dentro de um cofre, de uma caixa, quantificar e qualificá-la. O sentido maior para Jesus, está em viver com ações, obras, aquilo que Ele deixou como testemunho e como forma de participarmos da construção do Reino. Observemos nossas obras e como elas são frutos de uma Palavra meditada.
Tornar-se um lugar de habitação de Deus, é a terceira responsabilidade. O texto evidencia: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada”. Ainda no trecho da segunda leitura de ontem (1Pedro 2,5b), encontramos: “formai um edifício espiritual”. Tomar a consciência de que pelo batismo, tornamo-nos morada de Deus, um templo espiritual. Isso é fundamental para mantermos o contato, a conexão entre o humano e o divino.
E tudo isso será garantido pela presença do Espírito Santo, o hóspede da alma, o Defensor, aquele que age para ensinar e recordar-nos de tudo aquilo que o Cristo deixou como missão a Igreja.
Concluo com uma oração de São Boaventura que diz: “Abre, portanto, os olhos, põe à escuta o ouvido espiritual, abre os teus lábios e dispõe teu coração, para que tu possas em todas as criaturas ver, ouvir, louvar, amar, venerar, glorificar, honrar o teu Deus”.

Padre Kleber Rodrigues da Silva
Pároco

 
Indique a um amigo
 
 
Conteúdo Relacionadas